Para que serve, qual a importância e como obter código de barras?

Seja você comerciante, alguém pensando em abrir um comércio ou um consumidor comum, pode achar interessante saber como obter código de barras.

Você já se perguntou para que serve esse código com linhas grossas e finas acompanhadas por uma sequência de números que são inseridos nas embalagens? Qual a sua utilidade, quando e por que foi inventado? E a pergunta de ouro: como obter código de barras?

Bem, é o que pretendemos responder neste artigo, mas vamos além. Vamos apontar que existem mais de um tipo de código de barras usados em setores diferentes ou em países diferentes. Também há leitores dos mais diversos, não só aqueles que verificam nos supermercados onde os caixas passam o código até ouvir o “bip” emitido pelo aparelho.

Aliás, você sabia que dá para identificar o país de origem de um produto e até a empresa pelo número de código de barras? Isto sem precisar passar o código em um leitor ou fazer cálculos complexos, somente batendo o olho na sequência numérica.

Mas, para saber dessas informações, é preciso aprender a ler essa sequência, o que cada número representa. E, acredite: não é nenhum bicho de sete cabeças. Depois que você passa a entender a ordem de informações, fica bem fácil fazer a “leitura” do código de barras.

Leia os tópicos abaixo para saber como obter código de barras e muitas outras informações!

O que é o código de barras?

 

O que identificamos como código de barras que, no seu país de origem, EUA, é chamado de barcode, é uma representação gráfica. Como podemos observar, é uma representação de espaços brancos e pretos e uma sequência numérica que serve para identificar um produto.

Vale salientar que tanto a sequência numérica como a representação gráfica tem o mesmo valor. Isto é, o leitor do código lê o gráfico que carrega na sua codificação ou a sequência numérica exposta abaixo. Caso dê algum problema de leitura e o atendente seja obrigado a digitar manualmente o código, a informação passada para o sistema será a mesma.

Logo, entende-se que essa sequência de números, representada numeralmente ou por gráfico, é única. Nenhum outro objeto terá numeração idêntica.

O código de barras pode ser inserido nos produtos de duas formas: impressos diretamente na embalagem, o que é mais comum em grandes redes varejistas, ou colados posteriormente nas embalagens.

Nesse último caso, é importante que o comerciante tenha em mão uma impressora de etiquetas de código de barras.

Seria uma das formas de se obter o obter código de barras? Seria, mas não é a única e nem é tão simples. Não basta simplesmente imprimir. É preciso fazer a montagem do código e inserir os números.

Mas, antes de entrarmos em maiores detalhes sobre isso, você sabe responder qual a utilidade do código de barras? Vejamos a seguir.

Para que serve o código de barras?

Eles existem em praticamente todos os produtos comercializados. Nos grandes centros de comercialização de produtos, com certeza. Isso significa que é muito vantajoso para as fabricantes e redes varejistas. Ou será que não? É apenas uma medida de fiscalização do governo, por exemplo?

Para entendermos para que serve o código de barras, é preciso saber de sua história.

Adiantamos, parágrafos acima, que o país de origem desse código é os EUA. Mas quando e por que surgiu?

“Fechado para balanço”

Como os supermercados ou qualquer outro tipo de varejista conferia os produtos que foram vendidos? Sem um sistema de informatização, era preciso fazer o trabalho manualmente. Ou seja, no fim do dia, os funcionários do estabelecimento deveriam verificar o estoque de cada produto na prateleira e marcar o que havia saído ou não e, então, analisar junto aos caixas se os números batiam.

Nem precisamos dizer que tal tarefa era no mínimo estafante. Imagine só ter que conferir todos os produtos de um supermercado? Isso devia demorar uma noite inteira. Na verdade, demorava dias! Tanto que era comum, até a metade dos anos 1990, encontrar placas nos supermercados com a seguinte informação: “fechado para balanço”.

Já imaginou ficar ao menos três dias sem poder ir ao supermercado porque estava fechado para balanço? Pois é. Isso ocorria com frequência e claro que não era do agrado dos consumidores e nem dos comerciantes.

A partir disso, surgiu a necessidade de se pensar em um sistema que agilizasse o trabalho de conferir a quantidade de cada produto para poder gerenciar o estoque.

A solução

Os primeiros estudos a respeito do tema iniciaram ainda na década de 1940, nas universidades americanas, sendo até formulado um sistema de identificação. Porém, havia os limitadores tecnológicos da época que tornavam a implantação desse sistema muito encarecido. Foi somente nos anos 70, em 1974, para ser mais exato, que o sistema de código de barras foi aprimorado a ponto de se tornar viável comercialmente.

Há o registro de que o primeiro produto a ser vendido com o código de barras foi um pacote de pastilhas comprado por um cliente de uma rede Marsh’s em Ohio, nos EUA.

O código de barras, então, serve para identificar qualquer produto que exista dentro de um estabelecimento comercial. Ao passar pelo leitor de barra, o sistema do estabelecimento sabe imediatamente qual produto foi vendido, em qual caixa, horário, quantidade, em qual prateleira se encontrava e quantas unidades do mesmo produto precisam ser repostas na prateleira.

Sem dúvida, tal sistema ajuda muito para que, no final do dia, o comerciante possa saber o que saiu do mercado e o que precisa ser reposto. Esse sistema de identificação é fundamental para impedir a paralisação do estabelecimento por alguns dias e garantir melhor atendimento ao cliente.

Benefícios da implantação do código de barras

Os benefícios do código de barras são diversos, tanto para os proprietários de comércio como para os consumidores. Vejamos alguns deles.

Economia de tempo

O código de barras tornou muito mais prático o gerenciamento de estoques e de gôndolas nos mercados. Se antes era preciso anotar cada produto que saía ou conferir item por item no final do dia, com o código de barras, a informação é passada para o centro de gerenciamento no instante da venda.

Já no final do expediente, tem-se as informações necessárias para que o mercado possa abrir sem problemas no dia seguinte. Isso também evita que consumidores encontrem prateleiras vazias durante o horário de funcionamento.

O estabelecimento comercial sai ganhando porque agiliza a reposição e garante vendas contínuas. E os consumidores saem ganhando por terem sempre à disposição os produtos de que precisam.

Economia

Essa agilidade acaba refletindo no bolso do consumidor, mas positivamente. Mais tempo ficando aberto, mais dinheiro entrando, o que aumenta os lucros e permite baixa de preços.

Mas não só isso.

O custo hora/funcionário acaba reduzindo significativamente com o código. Por isso, se faz necessário saber como obter código de barras para se beneficiar com essas vantagens.

Antes da adoção do sistema, os funcionários tinham que ficar horas a fio no trabalho, muitas vezes fazendo hora extra, ou era necessário contratar mais mão de obra para manter o mercado operando pelo maior tempo possível.

Com o código de barras, a necessidade de mão de obra diminui e a jornada de trabalho também pode ser reduzida. Tal economia acaba se refletindo no preço a ser cobrado dos produtos com o código de barras.

Reposição de estoque

Com as informações sendo transmitidas automaticamente no ato da venda, os estoques são atualizados constante e também automaticamente, facilitando seu gerenciamento.

Somente uma série de imprevistos, de dificuldades, provocará atraso de reposição, pois observando atentamente os números e tendo ciência da saída de alguns produtos, fica mais fácil impedir que alguns itens fiquem faltando no supermercado.

Novamente quem ganha é o dono do estabelecimento por garantir que o fluxo de vendas se mantenha constante e, claro, o consumidor, que terá sempre à disposição o produto de sua preferência.

Facilita as transações comerciais

Outra forma de designar o barcode é Código de Barras Universal. Isto porque ele é adotado em praticamente todos os países, com exceção de Canadá e EUA. Mas, mesmo nesses países citados, os produtos se padronizam ao sistema de identificação usado pela maioria.

Esse padrão de identificação facilita muito as transações de empresas tanto internas como externas, isto é, de empresas dentro e fora do Brasil. Com ele, não é necessário compartilhar informações a respeito dos produtos, pois tais dados se encontram presentes no código de barras. Isto por sua vez, agiliza e facilita as transações de importação e exportação.

A numeração do código de barras

Neste post sobre como obter código de barras, ficamos devendo ainda a explicação do significado dos números. Vamos ver sobre isso?

Claro que, a nessa altura, você já sabe que essencialmente esse número serve para identificar um produto dentro de um sistema de estoque, mas a sequência não se limita a prestar somente essa informação. E nem é possível identificar um produto, desde sua origem de fabricação até a chegada à casa do consumidor, apenas com o informe de que lugar do mercado ou do estoque se encontra ou se encontrava.

Pela sequência numérica do código de barras, é possível identificar o país de origem e a empresa que fabricou o produto.

Para saber de tais informações, basta ter ciência do seguinte:

  • O total de números presentes no modelo de código de barras usado no Brasil e na maioria dos países é 13, que recebe a identificação de EAN13;
  • Os três primeiros números do código, da esquerda para a direta, se referem ao país de origem;
  • O código do Brasil é 789;
  • Os cinco próximos números se referem ao CNPJ da empresa. Ao se fazer a consulta dessa numeração em um banco de dados é que se descobre o fabricante do produto;
  • Os quatros números subsequentes, por sua vez, são a identificação do item comercializado;
  • O dígito final é um digito verificador. Serve para confirmar a leitura correta do scanner. Esse número se obtém com a soma de todos os números anteriores mais divisão.

Como obter código de barras?

Chegou a hora de finalmente saber como obter código de barras.

Felizmente, assim como o sistema descomplicou vários processos, a obtenção do código de barras também não é complicada. Existe uma associação que atua a nível global para regular e padronizar a emissão do código, a GS1. E há uma representante oficial no Brasil, a GS1 Brasil.

É por meio dessa instituição que se cadastra e solicita o código de barras. E esse cadastro pode ser feito estando no Brasil ou em qualquer lugar do mundo.

Como obter código de barras para uso interno?

Para esse caso específico, ou seja, obter código de barras para uso interno, o caminho é desenvolver o próprio código de barras usando um programa que geralmente acompanha as impressoras de etiquetas.

Nesses softwares, é possível escolher o tipo de código de barra, ajustar sequências numéricas, adicionar ou excluir informações. Tudo muito prático.

Como obter código de barras gratuitamente?

É possível obter código de barras gratuitamente?

Sim, mas quase tudo que é de graça no comércio exige mão na massa, o famoso “faça você mesmo”. Em sites e aplicativos de celular, há programas que geram o código de barras. No entanto, muito deles não contam com uma edição de layout, sendo necessário recorrer a outros softwares para completar a criação do código de barras.

Considerações finais

Agora que você já sabe como obter código de barras e, principalmente, para que ele serve, fica mais fácil organizar sua operação e seu estoque. A Apolo Marcas é uma empresa especializada em registro de marcas e patentes. Se você tem dúvidas a respeito desse assunto ou precisa fazer seu registro, entre em contato. Cuidaremos de toda a parte burocrática. Fale conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *