Como Registrar Minha Marca de Artesanatos?

Como registrar sua marca de artesanatos? Saiba como fazer o registro de marcas de artesanato passo a passo com dicas e todos os detalhes para você economizar tempo e valorizar ainda mais o seu trabalho e empreendimento!

Trabalhar e fazer negócios é algo que todos nós precisamos, mas quando trabalhamos com algo que gera prazer e que é apreciado por tantas pessoas, é a perfeita união do que você tem que fazer com o que você gosta. É o caso de quem faz artesanatos, um tipo de trabalho que tem atraído cada vez mais adeptos, seja pelo prazer que a atividade gera ou pelo mercado que também tem se mostrado bastante atrativo. E se você deseja atuar nesse segmento também, saiba que existem certas coisas que devem ser levadas em conta para que você possa tocar seu negócio sem nenhum problema. É por isso que hoje vamos falar sobre como registrar marca de artesanatos.

Afinal, por que é tão importante registrar uma marca? Quais são as consequências de um não registro? Como tocar o negócio de forma segura? Todas essas questões serão abordadas no texto de hoje, mas, antes, é necessário nos aprofundarmos um pouco mais no que é o mundo dos artesanatos e em como esse tipo de negócio funciona.

O que são artesanatos?

Qualquer um que deseje começar a fazer artesanatos precisa entender o que é essa técnica, como ela surgiu e como ela faz parte da nossa história.

Podemos resumir artesanato a um objeto produzido a partir de matérias-primas naturais, feitos à mão e sem o auxílio de grandes máquinas. A produção artesanal está diretamente ligada com a história da evolução da humanidade, uma vez que a confecção de ferramentas foi o que nos permitiu comer melhor, dormir melhor, nos vestirmos e nos protegermos do frio melhor, entre diversas outras coisas.

Algumas das matérias-primas mais comuns de artesanatos são:

  • Madeira;
  • Couro;
  • Barro;
  • Pedra;
  • Folhas.

Esse era o tipo de produção mais comum até a revolução industrial, quando o processo de fabricação de praticamente qualquer tipo de objeto se tornou massivo. A partir daquele momento, coisas comuns do dia a dia que eram feitas de maneira artesanal, como uma cadeira, uma mesa, talheres, ferramentas, entre outras coisas, acabaram sendo produzidas pelas fábricas em larga escala.

Apesar de, naquele momento histórico, o artesanato ter perdido espaço e prestígio, hoje em dia essa é uma técnica bastante valorizada.

O que acontece é que, como nos acostumamos com a produção em massa e dos objetos feitos em larga escala, também perdemos a unicidade de certas coisas. É exatamente nesse espaço que o artesanato ganha hoje em dia, oferecendo-nos objetos feitos de maneira única, sempre com um toque pessoal, o que acaba atraindo muitas pessoas.

Alguns dos objetos mais comuns feitos artesanalmente hoje em dia são:

  • Bijuterias;
  • Vasos;
  • Instrumentos musicais;
  • Sabonetes;
  • Brinquedos;
  • Bordados.

A palavra “artesanal”, inclusive, ganhou uma áurea sofisticada nos últimos anos, muito por conta do valor que é dado a produtos feitos à mão, com atenção especial e, é claro, com a unicidade que todos buscamos.

Quem compra artesanatos?

Outro ponto importante que deve ser estudado e analisado por qualquer um que queria entrar no mundo dos artesanatos é saber quem é o possível público, ou seja, quem são as pessoas que irão comprar seus produtos. Um estudo de mercado é sempre necessário.

Antes de mais nada, é necessário ressaltarmos que existem muitos tipos de produtores de artesanatos, desde pequenos fabricantes de negócios familiares até grandes empresas. Apesar desses exemplos serem de tipos de negócios distintos, é possível traçar diversas coisas que em comum no que diz respeito ao tipo de cliente que esses negócios possuem.

Primeiramente, devemos pensar que quem busca por produtos artesanais está atrás de qualidade. E essa é uma palavra-chave para entender como o mercado funciona. Alguém que quer comprar um enfeite artesanal para sua casa não está atrás apenas de algo para decorar. Isso as pessoas podem encontrar aos montes em diversos tipos de loja.

O que faz com que ela busque por um enfeite artesanal é a maneira única de como aquilo foi feito, de maneira exclusiva, com ferramentas manuais e que carrega aquela unicidade que outros objetos não têm. É nesse tipo de coisa que você deve apostar para atrair mais clientes e fazer o seu negócio de artesanato crescer: a unicidade e a qualidade de seus produtos.

E não é apenas isso que os negócios maiores e os menores de artesanato têm em comum. Outra coisa pela qual os dois precisam passar são as burocracias que garantem a segurança e, consequentemente, o sucesso do negócio, como o registro de marca, por exemplo.

Por que registrar sua marca de artesanato?

Vamos falar aqui especificamente sobre como registrar marca de artesanato, porém, várias das questões que serão abordadas servem também para outros tipos de negócio e você irá perceber como o segmento de artesanatos também precisa fazer parte desse universo para que possa dar certo.

A marca é o que dá identidade para o seu produto. Uma empresa pode possuir um nome, mas diversas marcas, por exemplo, ou a marca pode ser também o próprio nome da empresa.

Pense em quantos produtos você associa em sua mente pelo simples fato de falarmos o nome de uma marca. Esse é o poder que esse tipo de registro possui e uma das maiores razões pelas quais você deve aprender como registrar marca de artesanato.

Fazer o registro da sua marca é muito importante para garantir sua segurança. É apenas com registro que você pode ter certeza que ninguém ou nenhuma outra empresa usará o nome da sua marca para vender produtos parecidos, causando assim diversos problemas como má reputação para a sua marca e até mesmo perda de vendas para você.

Isso assegura que só você pode usar esse nome e apenas os seus produtos serão conhecidos através dela. É uma forma de garantir o seu reconhecimento também.

Consequências do não registro da marca

Ao não registrar sua marca de artesanato, você deixa sua empresa aberta a certos riscos e consequências. Vamos falar um pouco mais profundamente sobre as que consideramos mais perigosas para que você consiga entender a importância do registro. As principais consequências são:

  • Perda dos direitos de uso da marca;
  • Infração de marca de outra empresa;
  • Não possibilidade de crescimento.

Perda dos direitos de uso da marca

Apenas utilizar um nome sem registro não garante para você, de forma alguma, que você possui direitos sobre a marca. Há, inclusive, uma lei para isso, é a 9.279/96, também conhecida como Lei da Propriedade Industrial, que deixa claro que a primeira pessoa ou empresa que registrar uma marca terá uso exclusivo do seu nome em todo o território nacional.

O não registro, portanto, pode te obrigar a mudar o nome da sua marca e refazer um planejamento de muito tempo. É importante evitar isso porque, como já falamos por aqui, o nome da marca tem uma relação direta com seus clientes.

Infração de marca de outra empresa

Como citamos a Lei da Propriedade Industrial, é importante saber que ela também pode ser usada contra você. Quem não faz o registro da marca normalmente também não realiza a necessária pesquisa para saber se o nome escolhido já é registrado ou não.

O que pode acontecer, então, é você acabar utilizando um nome que já está registrado, o que pode causar problemas, como multas e processos.

Não possibilidade de crescimento

Não entenda errado aqui. Você pode muito bem fazer as suas vendas crescerem sem registrar sua marca, mas você ainda estará perdendo uma grande oportunidade de expandi-la com uma boa campanha de marketing.

Isso porque, quando você não possui marca registrada, você acaba perdendo aquela identidade, que é uma das grandes vantagens do registro, que já citamos por aqui. Além disso, sem as campanhas de marketing com o nome da marca, menos pessoas serão atingidas por seus produtos, o que, consequentemente, faz com que suas vendas não cresçam como poderiam.

Podemos concluir, então, que para evitar todos esses problemas, o melhor a fazer é registrar sua marca de artesanato da maneira correta. Mas, como fazer isso? Não se preocupe, preparamos um passo a passo para que você possa entender como tudo isso funciona.

E como registrar sua marca de artesanato? Passo a passo para você:

O processo de registro de marca é bem menos complicado do que as pessoas imaginam. Porém, por mais simples que esses passos sejam, eles têm uma importância muito grande. Por isso, fique atento aos detalhes. Os passos são:

Tenha uma ideia

Tudo começa no início, não é mesmo? Portanto, o primeiro passo é ter uma ideia. Aqui você precisa usar toda a sua criatividade, utilizar um nome que seja forte e que tenha a ver com o mundo dos artesanatos.

Além disso, é necessário ficar atento às regras de registro de nome. Não é possível registrar uma marca com um nome de um objeto comum, como “colar” ou “sabonete”, por exemplo. Existem ainda outras regras importantes que devem ser verificadas antes de você seguir para o próximo passo.

Faça uma busca gratuita de marca

Depois de ter usado sua criatividade, é hora de saber se o nome que você escolheu está disponível.

Existem diversas ferramentas na internet que fazem uma busca gratuita de marca e te ajudam a garantir que esse nome seja apenas seu. Caso o resultado seja negativo, é necessário voltar para o primeiro passo, pensar em um novo nome e fazer essa verificação novamente.

Registre sua marca

O último e mais importante passo é, finalmente, registrar a sua marca. Depois de ter feito a busca, você deve fazer o seu cadastro no INPI, onde indica todos os seus dados, como se é pessoa física ou jurídica, se o registro é feito por você mesmo ou por procurador, entre outros detalhes.

Depois disso, o próximo passo é pagar a guia de recolhimento (GRU) e então protocolar o seu pedido no sistema e-marcas, que você pode acessar através do próprio site do INPI. A partir desse momento, você deve acompanhar a situação do seu pedido de registro de marca. O resultado é divulgado em até 90 dias, por isso, é importante ficar atento.

Se você ainda assim acredita que isso seja algo burocrático, nós recomendamos que você utilize uma assessoria para registro de marca. Existem diversos benefícios que você pode ter, além de ser poupado de um trabalho que muitas vezes acaba sendo complicado por conta de burocracias e organização de documentos.

Por que utilizar uma assessoria?

Nós recomendamos que você contrate uma assessoria para realizar o registro de marca por diversas razões. A primeira é que, de todos os passos citados aqui, essa é a parte mais burocrática, ou seja, a mais complicada.

Uma assessoria possui os conhecimentos necessários para fazer esse processo sem problemas, indicando quais são os documentos e procedimentos necessários. A assessoria também acompanha o seu pedido de registro de marca junto ao Órgão Federal, o que garante que você sempre esteja por dentro do que está acontecendo, assim como os prazos para a finalização do processo.

Em resumo, podemos dizer que uma assessoria torna todo o processo de registro de marca algo muito mais fácil para você, além de evitar diversas dores de cabeça. Isso faz com que você possa se concentrar no seu negócio, na produção de produtos artesanais e no crescimento da sua marca a partir daquele momento.

Considerações finais

Se você pretende trabalhar com isso, é de extrema importância entender como registrar marca de artesanato. Não se trata de apenas mais uma burocracia a ser seguida, mas também de algo que vai garantir sua tranquilidade para tocar seu negócio, além de gerar diversos benefícios, como você observou aqui.

É muito importante que você saiba o caminho que seu negócio vai seguir, principalmente se tratando de uma área que envolve gerenciamento e arte ao mesmo tempo. Fazer artesanatos pode ser algo ótimo e extremamente positivo para a sua vida, mas seguir as regras de qualquer negócio é necessário para evitar qualquer tipo de problema.

Então, antes de dar o pontapé inicial em seu negócio, certifique-se de registrar sua marca e resolver todas as burocracias necessárias para que possa crescer cada vez mais. E da maneira correta. Conte com a Apolo Marcas e Patentes para ajuda-lo nesse processo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *